ONU aprova as mais duras sanções contra Coreia do Norte.

ONU aprova as mais duras sanções contra Coreia do Norte.

COMPARTILHAR

GENEBRA — O Conselho de Segurança da ONU aprovou nesta segunda-feira as mais duras sanções contra a Coreia do Norte.

A resolução proíbe as exportações têxteis e restringe o envio de derivados de petróleo para o país, num esforço para aumentar a pressão contra o regime norte-coreano e seu programa de mísseis nucleares e balísticos, proíbe também, todos os países de autorizar novas licenças de trabalho para trabalhadores norte-coreanos.

Se a Coreia do Norte aceita parar seu programa nuclear, ela pode recuperar seu futuro. Se ela provar que pode viver em paz, o mundo vai viver em paz com ela — disse Haley no Conselho de Segurança da ONU, após a aprovação de novas sanções contra o país. A resolução de hoje não aconteceria sem o forte relacionamento desenvolvido pelo presidente Donald Trump e o presidente chinês, Xi Jinping.

Em uma nova ameaça, a Coreia do Norte advertiu aos Estados Unidos que lhe causará “o maior dos sofrimentos” se Washington prosseguir exortando a ONU a endurecer suas sanções contra Pyongyang após seu sexto teste nuclear. De acordo com um comunicado reproduzido pela agência de notícias oficial norte-coreana, KCNA, o Ministério dos Negócios Estrangeiros da Coreia do Norte advertiu que se Washington “avançar com esta ‘resolução’ ilegal sobre um endurecimento das sanções, a Coreia do Norte assegurará que seja absolutamente certo que os Estados Unidos paguem o preço”.

As Nações Unidas já adotaram sete séries de sanções à Coreia do Norte, progressivamente severas, principalmente um embargo de armas, bloqueio de ativos e proibição de importar carvão, desde que o regime norte-coreano executou seu primeiro teste nuclear, em 2006. As últimas medidas da ONU, em 5 de agosto de 2017, privaram Pyongyang de exportações de carvão, ferro, minério de ferro, chumbo e pescados. Na época,a China, destino de 90% das exportações norte-coreanas, prometeu respeitar as demandas.