Superação: piloto sem braços impressiona com habilidade no Drift ( Assista ao...

Superação: piloto sem braços impressiona com habilidade no Drift ( Assista ao video )

COMPARTILHAR

O jovem polonês de 29 anos usa seu pé direito para controlar os pedais, enquanto seu pé esquerdo conduz o volante,  ele usa o ombro para mudar de marcha.

Conheça a história de Bartek Ostalowski o primeiro piloto de corrida do mundo a pilotar um carro de corrida com os pés.

O polonês Bartek Ostalowski tinha uma carreira promissora pela frente quando, em 2006, um acidente de moto lhe tirou os dois braços, na época ele tinha 20 anos.

Recuperado físicamente e emocionalmente, bastou só um ano para que ele aprendesse a pilotar com os pés.Ele começou a praticar com Karts e não demorou muito para ir em busca de motores mais potentes.


Quase não há informações sobre Bartek Ostalowski na internet — ao menos em inglês. Contudo, a mídia polonesa dá muita atenção a ele — e com razão. Olha o que o cara consegue fazer:Com o pé esquerdo no volante, ele controla a direção. O pé direito cuida dos pedais, e o ombro direito opera a alavanca de câmbio (automático com trocas manuais) do Skyline GT-t R34 com a ajuda de uma alavanca.

Bartek começou a desenvolver sua técnica de pilotagem com os pés ao volante de um E30. Ele competiu em campeonatos de rali na Polônia — incluindo o nacional de Rallycross — até 2010, quando conseguiu a licença da FIA para competir profissionalmente fora do país e, desde 2008, pilota um o GT-t em campeonatos de drift.


“Legal, além de tudo ele acelera um seis-em-linha biturbo!”, você deve ter pensado. Mas não: em 2012, o seis-em-linha do Skyline deu lugar a um V8 LS3 da Chevrolet — o motor do Corvette da geração passada e do atual Camaro SS. O small block de 6,2 litros entrega 436 cv, mas a razão principal para a escolha de Bartek foi o torque de 58,6 mkgf, disponível aos 4.600 rpm.
Bartek diz que o que lhe atrai no drifting é a possibilidade de dirigir no limite da aderência, passando a centímetros dos obstáculos — e, acima de tudo, a diversão. O que não lhe impede de, vez ou outra, colocar o Skyline em pistas de terra pela Polônia.

Agora, não é nenhuma novidade ver pessoas com deficiência dirigindo — felizmente! Contudo, Bartek merece todo o nosso respeito e admiração por ser, provavelmente, o único piloto sem braços do mundo a competir em nível profissional, algo desafiador até para quem tem todas as partes do corpo no lugar.