Os ladrões de sonhos: Como se cuidar destes usurpadores

Os ladrões de sonhos: Como se cuidar destes usurpadores

Como está sendo 2017 para você? Estamos chegando ao meio deste ano, que iniciamos cheios de esperança e promessas de mudanças. Está conseguindo cumprí-las?

Nesse processo de construção dos objetivos, temos que ter muita convicção e foco para fazer o que tem de ser feito, sem desviar do caminho por qualquer dificuldade, nem se deixar desanimar frente aos obstáculos. Por isso, tenha certeza que o que busca faz realmente sentido para você.

Por exemplo, seu objetivo é fazer uma faculdade de determinado curso. Por que você escolheu esse curso? Porque quer, ou porque alguém disse que é o melhor para você? Essa profissão vai lhe trazer alegria, está de acordo com seus gostos, hobbies ou visão do mundo? Ou apenas está em busca daquele que supostamente traz o melhor rendimento? O mercado desse segmento está em expansão ou retração?

Esse é o ponto inicial de qualquer projeto: faça as perguntas certas, e responda com franqueza a si mesmo. Se o seu projeto fizer sentido ao seu “coração” (aquilo que você ama), mente (aquilo em que você acredita) e bolso (aquilo que sustente o estilo de vida pretendido), brotará imediatamente dentro de você a força com a qual poderá se apoiar na luta pelo seu objetivo. Aí entra em cena o perigoso ladrão de sonho! Você já ouviu falar dele? Sabem quem ele é?

Ladrões de sonhos estão em todas as partes. Podem ser pessoas conhecidas ou desconhecidas.

O ladrão de sonho é todo aquele que, pautando nas experiências ruins e nas coisas que acredita (crenças pessoais), consegue amedrontar, paralisar e desestimular uma pessoa com um projeto especial de mudança.

Ladrão é quem rouba algo de alguém. E um dos tesouros mais preciosos na vida de uma pessoa são os sonhos, pois os sonhos inspiram, e são como faróis no nevoeiro da desconfiança e da dúvida. Todo aquele que tem uma história de superação é um sonhador que quis de fato transformar sonho em realidade. E não se deixou desanimar pelos ladrões de sonhos, que costumam utilizar algumas frases prontas e ferinas como:

Isso não é para você!
Desista, isso é só para quem nasceu rico ou teve uma boa educação.
Com esse seu jeito, você acha que vai conseguir?
Não sonhe muito alto, pois o tombo é maior.
Nessa altura da vida vai querer mudar?
Por que não faz aquilo que todos fazem?

Já ouviu algo parecido? Será que sem querer, também não acabou falando isso para alguém também?
Porque nem todo ladrão de sonho tem consciência disso. Nem sempre esses “conselhos” são feitos por maldade. Já escrevi isso antes, mas às vezes, na tentativa de proteger quem amamos, de não querer vê-los sofrer, fazemos de tudo para que tudo continue na zona de conforto – ou seja, um lugar que não é tão bom assim, mas é previsível, é rotineiro. Porém que um dia pode cobrar um preço alto demais: o arrependimento!

Ao longo da vida, ouvimos mais frases negativas do que positivas, e isso desde a infância. Acabamos assim por absorver os pensamentos e crenças das outras pessoas como sendo verdades, e passamos a agir e tomar decisões pelo resto da vida baseado nelas. São normalmente frases baseadas no temor: “–Se fizer isso não vou mais gostar de você”. Na punição: “–Desce daí ou você vai apanhar!”. Na fragilidade: “–Você vai se machucar, hein!). Na impossibilidade: “–Pára de ficar aí sonhando e vai fazer algo de útil, menino!”. Na perpetuidade das situações: “–Não tem jeito, não tem como mudar”. Na comparação depreciativa: “–Ela é mais estudiosa e inteligente que você!”.

O resultado é que crescemos desconfiando de nossa própria capacidade de fazer a diferença, de ser a diferença.  Muitos começam um projeto já prevendo sua ruína. E aí entra em cena um outro tipo de ladrão de sonhos, talvez o mais perigoso de todos: Você mesmo!

Quantas vezes você mesmo deixou morrer ideias antes mesmo que elas amadurecessem? Quantas vezes você mesmo se imaginou incapaz de fazer algo, e desistiu sem ter começado, ou no meio do caminho. Quantas desculpas deu a si mesmo para abandonar um projeto, ainda que no fundo acreditasse que seria o melhor para você?

Quando decidimos ser agentes de uma mudança na vida, precisamos sim analisar os riscos, pesar as consequências, mas a coragem de seguir em frente e a decisão de não deixar se sentir inferior são atitudes que só cabem a você tomar. Quanto mais conseguir ter essa autonomia, mais se sentirá dono das rédeas do seu destino e responsável por suas ações e consequências. Sentirá que as decisões importantes de sua vida passarão a ser suas, e não de terceiros. Sentirá liberdade e amadurecimento.
Prenda o ladrão de sonhos, e liberte o melhor de sua natureza.

EXERCÍCIO
Descreva uma lista com pelo menos 10 frases típicas que os ladrões de sonhos usam. Deixe à sua vista, para decorar. E da próxima vez que ouvir alguém tentando roubar o direito de você sonhar, diga mentalmente para si mesmo:

Meu sonho é maior do que o meu medo. Eu sou tão grande quanto meu sonho!”

#Vamospracima!