Hipertensão Arterial Sistêmica: Saiba quais são os sintomas, os riscos e o...

Hipertensão Arterial Sistêmica: Saiba quais são os sintomas, os riscos e o que fazer

COMPARTILHAR

A pressão arterial é a pressão do sangue exercida contra a parede interna das artérias, sendo o resultado dos efeitos do volume de sangue ejetado pelo coração e da resistência vascular. Quando houver um aumento no volume de sangue a ser ejetado, (por exemplo quando os rins não funcionam normalmente), ou quando a resistência oferecida pelas artérias para a passagem do sangue estiver aumentada, (por exemplo, quando as artérias de maior calibre se tornam rígidas e não conseguem expandir-se), ocorre aumento da pressão arterial (kōketsuatsushō, em japonês).
Segundo os valores estabelecidos pela Organização Mundial de Saúde (OMS), a pressão arterial ótima é de 120 x 80 mmHg (ou, 12 x 8 no Brasil).
O primeiro valor é chamado de pressão arterial sistólica e o segundo de pressão arterial diastólica. O índice de pressão limítrofe é 130 x 85 mmHg. Acima de 140 x 90 mmHg é considerado como Hipertensão Arterial; estágio leve (140 x 90 mmHg), moderada (160 x 100 mmHg e 179 x 109 mmHg) e grave (acima de 180 x 110 mm Hg).

Sintomas da hipertensão
No início da doença a maioria das pessoas não apresenta nenhum sintoma. Por isso, ela é chamada de “inimiga silenciosa”. A única forma de saber se a pressão está alta é medindo a pressão regularmente. Os sintomas atribuídos ao aumento da pressão são dor de cabeça, cansaço, tonturas, sangramento pelo nariz, porém esses sintomas são comuns a muitas outras doenças.
Quando um indivíduo tem uma hipertensão arterial grave ou prolongada e não tratada, apresenta dores de cabeça, vômitos, falta de ar, agitação e visão borrada em decorrência de lesões que afetam o cérebro, os olhos, o coração e os rins.

Consequências graves
A pressão alta ataca os vasos sanguíneos do coração, rins e cérebro. Os vasos sanguíneos são recobertos internamente por uma camada muito fina e delicada que é machucada quando o sangue está circulando com pressão elevada. Com isso, os vasos se tornam endurecidos e estreitados podendo, com o passar dos anos, entupir ou romper. Quando o entupimento de um vaso ocorre no coração pode ocasionar uma angina ou infarto. No cérebro pode levar ao derrame cerebral. Nos rins podem ocorrer alterações na filtração e até a paralisação dos órgãos. Todas essas situações são muito graves e podem ser evitadas com o tratamento adequado, bem orientado por médicos.

Quando o entupimento de um vaso ocorre no coração pode ocasionar uma angina ou infarto. No cérebro pode levar ao derrame cerebral.

Quem corre risco
As pessoas com maior risco de se tornarem hipertensas, são aquelas com excesso de peso, que não tem uma alimentação saudável, ingerem muito sal, não fazem exercícios físicos, consomem muita bebida alcoólica, são diabéticos ou têm familiares hipertensos. O risco aumenta com a idade. Após os 55 anos, mesmo as pessoas com pressão arterial normal, têm alta probabilidade de desenvolver a hipertensão.

Diagnóstico
A pressão arterial deve ser aferida na posição sentada, respeitando um período de repouso de 5 minutos. Medidas com valores iguais ou superiores a 140 x 90 mmHg são consideradas altas, mas não é possível basear o diagnóstico apenas em uma leitura. Muitas vezes são necessárias várias leituras para estabelecer o diagnóstico. Se a leitura inicial apresentar um valor alto, deve-se então, medi-la novamente; em seguida mais duas vezes e, em pelo menos mais dois outros dias, para assegurar o diagnóstico.

Tratamentos medicamentosos
O objetivo do tratamento medicamentoso é reduzir a resistência vascular periférica, promovendo vasodilatação. Os diferentes agentes anti-hipertensivos o fazem por diferentes mecanismos.

O que fazer se foi diagnosticado como hipertenso
Meça sua pressão regularmente
Diminua: A quantidade de sal na comida. Use no máximo a quantidade de uma colher de chá (10g) para toda a alimentação diária. Não utilize saleiro à mesa e não acrescente sal no alimento depois de pronto.

Evite: Açúcares e doces, frituras, derivados de leite na forma integral com gorduras, carnes vermelhas com gordura aparente e vísceras; temperos prontos, alimentos industrializados que vêm em latas ou vidros, alimentos processados e industrializados como embutidos, conservas, enlatados, defumados, charque; e  bebida alcoólica.

Prefira alimentos saudáveis: Alimentos cozidos, assados, grelhados ou refogados, temperos naturais como limão, ervas, alho, cebola, salsa e cebolinha; frutas, verduras e legumes; e produtos lácteos desnatados.

Pratique atividade física pelo menos 5 dias por semana: Faça caminhadas, suba escadas ao invés de usar o elevador, ande de bicicleta, nade, dance.

Não fume! Depois da hipertensão, o fumo é o principal fator de risco de doenças cardiovasculares.

Siga as orientações do seu médico. Elas contribuirão para o controle da pressão arterial e para a diminuição dos riscos de doenças cardiovasculares.

Se utilizar medicamentos: Tome as medicações conforme a orientação médica. Se tiver qualquer dúvida sobre o medicamento, converse com seu médico. Compareça às consultas regularmente. Não abandone o tratamento.
Na época de festas de final do ano, a recomendação é servir-se moderadamente. Feliz Natal e um excelente novo ano com saúde!